segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

panis et circenses

Já quis desistir, não consegui.

Olhei ao redor, o muro em ruínas, o altar destruído, um povo disperso, inquieto, sem marca, sem rosto... sem força. Microfones no chão, luzes, narizes de palhaço e confetes. Aliançaram-se com o inimigo.
Esqueceram-se do pacto, esqueceram-se da herança, esqueceram-se do que é ser livre.
Orgulhosos de um deus por eles criado: domesticado, descaracterizado, perdido, limitado, agradável, superficial. 
Este era o meu povo... este era o meu povo...
Agoniada, chorei sem saber como agir... por eles pedi perdão, caí de joelhos, exausta. 
Numa tenda quebrada berrei: não me ouviram.

Não me ouviram...









3 comentários:

  1. Liberdade pode ter vários significados..

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz, legal a forma como tu esvreve.
    Mas somos libertos pelo Sangue do cordeiro,meu passado não importa mais,eu sou livre pra te Adorar(Min;Livres para Adorar)Fique na paz E que o Senhor continue a Te inspirar nos teus post.

    ResponderExcluir