sábado, 5 de junho de 2010

Ouço a chuva como se ouvisse teus conselhos. Tua voz me acalma, tua paz me invade, não consigo desviar-me de Tua luz incandescente. Reis dos reis eu sou tua (sinto-me mais segura ao passo que vou fraquejando, cada vez mais entregue em Teu colo).
Aliança perpétua.
Tua Glória me ofusca, Pai. Ensina-me a andar, carregar o madeiro maldito, insanidade pros homens, sangue justo e inocente. Por misericórdia, permita-me ao menos ser grata.

Um comentário:

  1. Lindo o que escreveu sobre o Pai. Fique com Deus e boa semana. Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir