quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

O Relativista

discurso batido do homem espiritual pós-moderno

"Creio em Deus, em seu poder criativo, sua movimentação gloriosa, assim como nos deuses africanos, indígenas, hindus, que não são menores em nada. Encontro o divino no vento, na areia, nos sorriso dos meus amigos, mas não consigo prendê-lO nas paredes de um templo. Assumo que não gosto de igrejas, de sua hierarquia, nomes e dogmas que excluem descaradamente quem não é de acordo. O amor é tudo, mas eu não acredito em verdade absoluta, cada um vive a sua história, a partir de seu ponto vista. Não O reduzirei, bem como não serei transformado, já que Ele me ama, assim, do jeito que sou."

é mole??

Um comentário: